sábado, 25 de março de 2017

A ultima ,viagem do Panagia Tinou


Depois de ter sido porto a flutuar a 11 de Fevereiro, o ferry grego "Panagia Tinou” foi rebocado para desmantelar  na Turquia.


Foto:Shipwrecklog.com

 O trabalho de resgate foi realizado pela empresa Antipoluição ANE.
Inicialmente pessoal especializado começou a remover todos os hidrocarbonetos e selou as aberturas.








Depois toda a agua que se encontrava do interior do navio foi bombada colocando o navio de novo a flutuar, apos o que partiu a reboque para a sua ultima viagem.




Madeira cria Roteiro de Mergulho

 A Madeira vai ter um roteiro para o mergulho, com o afundamento de mais três navios., adiantou Susana Prada, Secretária Regional do Ambiente e Recursos Naturais falava no decorrer da sessão de encerramento da 3.ª Conferência Europeia em Mergulho Científico, que se realizou no Funchal.


NRP Afonso Cerqueira


Susana Prada revelou ainda que, para além do ‘Madeirense’ e da ‘Corveta Pereira d’Eça’ (no Porto Santo), o Governo Regional conta afundar outros três navios nos mares da Madeira, estando já em preparação a “Corveta Afonso Cerqueira”, que será afundada este ano no Parque Natural Marinho do Cabo Girão






Neste momento, adiantou a governante, já está garantida junto à Marinha Portuguesa a cedência de mais dois navios – uma corveta e um patrulha serão afundados no próximo ano, um na zona do Caniço e o outro entre Machico e a Ponta de São Lourenço.

Características da Corveta Afonso Cerqueira



Construção        Estaleiros Navais de Cartagena
Lançamento      16 de Março de 1973
Patrono               Afonso Júlio de Cerqueira
Período de serviço         28 de Junho de 1975
Características gerais
Deslocamento  1380t
Comprimento   85m
Calado  22m
Propulsão           12.000hp
2 Motores OEW Pielstick 12 Pc2.2 V 400 Diesel
Velocidade         22 nós

Tripulação           7 oficiais, 14 sargentos, 51 praças


sexta-feira, 24 de março de 2017

Ferry ao fundo

Este é o titulo de uma lamentável noticia do Diario de Noticias da  Madeira, onde informa que a Ministra do Mar, baseada nas informações fornecida pelos armadores e pelo Governo Regional da Madeira ,não vai disponibilizar verbas para a ligação ferry Madeira Continente por esta ser inviável.

Numa região dependente do turismo e dos transportes é vergonhoso que o governo que tem por missão proporcionar o bem estar  dos seus habitantes, sejam estes ilhéus ou não, tenham estas lamentáveis decisões.

Foto Fleetmon.com


Pergunto a Sr Ministra de vai mandar destruir as estradas que ligam Lisboa ao Algarve, também tem avião, ou de Lisboa ao Porto, também tem avião.
Pergunto a Sra Ministra se um dia acontecer , como ja aconteceu, um vulcão qualquer na Islândia ou em outro lado qualquer entrar em erupção e não permitir o tráfego aéreo por um período longo, como será,






Pergunto á Sra Ministra se as pessoas que não podem viajar de avião não são portugueses com os mesmos direitos e deveres que todos os outros.


Por fim desafio a Sra Ministra dar uma olhada em todos os países da Europa e não só, com ilhas e ligações ferry entre elas e o continente , e se questionar o porquê de haver subsídios e incentivos para essas ligações  ferry, e o porquê de só Portugal não dispor deste tipo de serviço ferry,.
Era também interessante  a Sra Ministra verificar quantos e quantos serviços  existem em Portugal ,não rentáveis nem viáveis ,uns necessários outros nem por isso, mas subsidiados.


Ja há uma reacção do Secretário Regional de Economia e Transportes que alega ja ter pedido uma audiência á ministra na sequência destas noticias


quinta-feira, 23 de março de 2017

Roaz de volta

O navio cimenteiro da Transinsular "Roaz" depois de uma longa ausência,está de volta ao Porto Santo onde atracou ás 21h afim de proceder á descarga de cimento a granel no terminal da "Cimentos Madeira"
Para auxiliar as manobras de atracação e desatracação  deslocou-se desde o Caniçal o rebocador  "Cte Passos Gouveia"
Tem saída prevista para manhã ás 8.h.





sábado, 18 de março de 2017

"Mol" baptiza porta contentores com capacidade para 20.150 TEUs

A Samsung Heavy Industries, Ltd. Bateu  o recorde de construção do maior porta contentores com capacidade para mais de 20.000 TEU.

A SHI realizou uma cerimonia de baptismo, no estaleiro “Geoje” no passado dia 15 de
Março, do primeiro de quatro navios porta-contentores de 20.150 TEU, encomendados pela MOL do Japão em Fevereiro de 2015.



Foto: www.samsungshi.com

O “MOL Triumph”, tem o modesto comprimento de 400m, uma boca de  58.8m, e um calado 32.8m, é um ultra porta contentores que pode transportar 20.150 Teus, (contentores de 20 pes).

O navio amigo do ambiente  possui uma série de equipamentos que visa poupar de energia projectados pela SHI incluindo hélice e válvula de leme.

A SHI tem liderado o mercado com um design de casco optimizado este porta contentores gigantes.




A construção bem-sucedida do MOL Triumph é mais uma prova da excelência tecnológica da SHI. A MOL elogiou o desempenho da SHI pela  construção sem  incidentes durante 15 meses desde o corte de aço em Janeiro de 2016.


O “MOL Triumph” será entregue à MOL em 27 de Março após a conclusão e preparação para a viagem inaugural.


Navios XBow da Ulstein Group para expedição na China

A SunStone Ships anunciou ter feito um acordo com a China Merchant Industry Holdings (CMIH) para construir quatro navios de expedição com uma opção para mais seis na China.


Foto: www.cruiseindustrynews.com


O CMIH assinou um acordo com a Ulstein Design and Solutions, que fornecerá o projeto e equipamento para os novos navios de expedição SunStone, bem como a supervisão para a construção dos navios





Os navios terão entre 80 e 95 cabines, e serão classificados pelo Bureau Veritas.


A CMIH também firmou um acordo com a Mäkinen, que será responsável por todos os espaços interiores das novas construções.


quinta-feira, 16 de março de 2017

A emissão de gazes dos grandes navios é preocupante

Os 15 maiores navios do mundo, sozinhos, emitem mais NOx e enxofre para a atmosfera do que os 1.300 milhões de automóveis a circular em todo o mundo, é a conclusão a que chegou a CWR,(Carbon War Room)  uma ONG que se dedica ao combate às emissões poluentes.




 
Foto: samsungshi.com
Os navios gigantes alimentados a fuelóleo, um combustível derivado do petróleo, muito menos refinado do que a gasolina ou o gasóleo que colocamos nos nossos carros  transportam milhões de toneladas de carga, e que são responsáveis por colocar a economia do mundo em movimento, são no entanto uma das principais fontes de emissão de gazes poluentes do mundo.






Foto:hamburgsud.com

Afim de tentar inverter esta situação,  a Organização das Nações Unidas concordou em impor restrições à poluição destes navios até 2020, o  que poderá aumentar a pressão sobre o sector, e que deverá ter reflexos no preço dos produtos para o consumidor final.
Também se está e verificar a ritmo bem acelerado a construção e ou adaptação de diversos tipos de navios, desde porta contentores a ferries, para o uso de GNL ou dual fuel, que alem do GNL usa também o diesel marítimo, muito menos poluente que o Fueloleo.